Trago-te um novo dia

Um dia diferente de todos os outros dias que viveste.

Trago-te o Sol pela manhã e com ele a liberdade para passeares num jardim e tocares as flores. Porém, peço-te: se uma brisa suave chegar, fecha os olhos e deixa que os seus aromas te tragam a lembrança das palavras que eu sussurrava aos teus ouvidos, quando a natureza não tinha horas marcadas. Se as ouvires novamente, não deixes que a brisa fuja, nem que o relógio te lembre que agora o Sol se vai embora quando os homens querem.

Trago-te o Sol pela tarde, mas levo-te a liberdade. Espreita pela janela e deixa que os teus olhos confirmem que o Sol continua a brilhar. Se sorrires, quando deres conta disso, não deixes que as paredes que te fecham e onde te obrigaram a estar, te impeçam de deixar entrar a memória de cada um dos teus instantes de felicidade, quando as horas eram o que menos importava no nosso tempo de vida.

Trago-te a Lua pela noite e devolvo-te a liberdade. Quando fechares os olhos, que também são meus, espero que sonhes. Com jardins e flores. Com brisas que sussurram palavras e com natureza sem horas marcadas. Espero que sonhes também com Sol e com o seu brilho a cada instante de vida.

E, se a esperança for incluída no teu sonho, prometo-te um novo dia.

Ainda mais feliz do que o de hoje.

José Rodrigues. 

Partilhe nas Redes Sociais
FacebookTwitterPinterest

Deixe uma resposta

* Campos obrigatórios