Ter um filho em tempo de Guerra

Guerra não será o termo mais correto para o que vivemos atualmente. Pois não há tiros, bombas, gases venenosos, tanques de guerra, lança chamas ou qualquer outro tipo de armamento utilizado para tal situação.

Esta guerra é silenciosa mas perspicaz, é assustadora mas sem face, não é visível mas tem nome, não tem físico mas é forte, não tem armas mas ataca, não tem alvo nem objetivo mas assola tudo onde passa. É um verdadeiro dirigente que não negoceia cidade, País nem mundo.

É assim que descrevo este novo inimigo. Veio estragar todos os sonhos que tinha para este momento da minha vida. Este momento que por tanto esperávamos e que apesar de se realizar, vai ser totalmente diferente do idealizado.

Uma chegada tão esperada, que terá de ser tão escondida, tão protegida, tão resguardada.

Uma festa que terá de ser adiada, roupa que não será usada, coisas que não serão fotografadas, pessoas todas afastadas.

Sim o medo fará com que seja assim, tudo feito o mais escondido possível. Tão escondido que esconderá certas felicidades tão desejadas.

Sou uma grávida de primeira viagem de 33 semanas, prisioneira do inimigo invisível para proteger um ser que ainda não conheço. Controversa esta situação.

Já me dizem, ter calma, fazer tudo por ele (sim é menino), que vai valer a pena e que vai passar. Sim eu sei que vai passar, mas passará também todos os sonhos que desejamos para aquele momento que não vai esperar por ninguém.

Vai passar, vai passar a barriga a crescer sem ninguém ver, vai passar o último fim de semana romântico a dois, vai passar visita dos avós à maternidade, vai passar a festa de receção, sim vai passar.

Não passará só o tempo em casa, passará muitas outras coisas, e essas sim, são as coisas mais difíceis de saber que não vão acontecer.

O meu filho vai nascer em tempo de guerra, em tempo que ele na escola ouvirá falar sobre este tema. Por agora, na barriga, para ele está tudo exatamente igual à um mês atrás.

Maio é a data, quem sabe no mês do milagre, para além do nascimento do meu bebé haverá outros… caso assim seja será hora de cumprir promessas… mas por enquanto, eu fico na minha casa.

Stephanie Correia

Partilhe nas Redes Sociais
FacebookTwitterPinterest

27 comentários em “Ter um filho em tempo de Guerra

  1. Grávida de 32+5… Um misto de sentimentos que não deixa o ♥️ sossegar… Feliz por estar prestes a conhecer o primeiro filho e com medo desta guerra… Otimista para que até Maio a poeira assente e que tudo fique bem para receber nos braços este ser humano tão desejado… 👶

  2. Vou ser avó tb em MAIO !!e de um menino tb…💙O mês de MAIO mês de Maria e kem sabe não seja o mês do Milagre!!🙏a todas as grávidas incluindo a,minha grávida a,minha filha desejo k todas vocês força e muita fé!!!🙏porque TUDO VAI DAR CERTO!!!!TUDO VAI DAR CERTO!!!💙

  3. 35 semanas e ando péssima. Parece que só a frase ‘tem calma’ sai da boca das pessoas. Um acto de egoísmo para connosco. Todas as dúvidas, medos, inseguranças juntando agora o Corona não permitem q a pessoa se desligue de momentos de coro e raiva! Momentos de ansiedade e de precisar dum abraço! De simplesmente alguém, q sentisse o q estamos a sentir! So queria q parassem de me dizer o q devo ou n sentir… Enquanto apenas as grávidas sabem o q é ter todas as armas apontadas a qql intruso, a qql ameaça. Muito boa sorte! Para nós e os nossos bebes, q corra bem

  4. Olá! estou gravida de 37 semanas e este cenário é tudo o que nunca imaginei para esta fase.
    Revejo-me em tudo o que disse! Tento pensar sempre positivo mas não escondo que sinto uma grande tristeza por a situação estar assim, não só por mim mas por toda a humanidade.
    O importante é ficarmos todos bem!Força!
    ***

  5. Grávida de 37+3, nascerá a meados de abril, em plena ascensão da pandemia!
    Temos de ter coragem. Não será fácil, sem visitas no hospital, sem visitas dos avós, mas temos de ser esperançosos.

  6. É tempo de guerra , e teremos de nos ajustar a uma realidade não idealizado , mais do que nunca , estas semanas são essenciais para uma preparação diferente, a mãe é o principal interveniente, mas tudo fará para ficar tudo bem.
    Preparar é essencial 💛💪🏻

  7. 31 semanas. Como compreendo essas palavras. Tudo o que idealizavamos não se vai concretizar.
    Mas tudo vai ficar bem, é preciso ter esperança, força e coragem. É o que desejo a todas que estão nesta situação. Um beijinho

  8. Na mesma viagem com 31 semanas de gestação o texto transcreve todos os nossos pensamentos e ações. Coisas por comprar até para levar para a maternidade (temos comprado on-line mas com muito receio), chá de bebé cancelado 2 dias antes da data marcada, só saídas para consultas outras via telefone. Só não sou mãe de primeira mas os receios são exactamente os mesmos. O que magoa mais ainda é os nossos bebés nascerem no meio da guerra, e o que mais triste ainda é os avós nem poderem conhecerem os nossos mais que tudo ao vivo e a cores. Deus queira que tudo passe rápido e pelo melhor para todos.

  9. Estou gravida de 34 semanas e alem do medo que sinto por tudo isto não passar e trazer ao mundo um filho tão amado no meio desta guerra soma-se o medo pelo outro filho que tenho em casa e nem sequer imagino estar no hospital para o ter e ter de estar sem o ver sem receber uma visita dele… Fé e força para todas. 🙏

  10. Oi! Estou grávida de 33semanas,o meu menino vai nascer em Maio mas o medo é constante😔está pandemia k n para de matar k está a afetar tudo mundo…tenho fé e esperança k vai correr tudo bem🙏 Que a hora seja pequenina para todas as grávidas do mundo…❤️Mt Força 🙏🙏

  11. A aguardar pela chegada do meu num país que não é o nosso… 39semanas +3 dias… Haja força, confiança e coragem… É uma história para aos nossos filhos contar e eles próprios contarem também… #vamostodosficarbem

  12. E inadmissível deichar uma mãe sosinha sem o pai acolher um menino o uma menina. E o primeiro dia do bebê e um momento único que não possivel de viver outros. Pensa a sua experiência e deixam os futros pães e maes vivir esse maravilho tempo de sua vida. Imploro Deus para que não acontece a minha prima Sandra e o meu primo Nuno.

  13. Revi- me neste desabafo, pois também o estou a viver. 35 semanas de uma gravidez muito desejada, alegre e saudável, mas agora tudo ficou mais sombrio: o curso de preparação foi interrompido, a visita à maternidade cancelada e para piorar tudo o marido não pode estar quando preciso mais da sua força e ânimo… Tantas coisas que ficarão por viver, por saborear, mas temos de ser corajosas e fortes! Por nós, pelos nossos bebés, que precisam de mães felizes e saudáveis! Coragem para todas!

  14. Estou grávida de 30 semanas e de repouso desde as 14 semanas. Sempre soube que esta gravidez não iria ser fácil. Por isso, a ideia romântica de uma gravidez a exibir a barriga, a comprar o enxoval do bebé de loja em loja, as aulas de preparação para o parto… Tudo isso já tinha posto de lado. Aprendi que tinha de olhar para o essencial e ter esperança que tudo corresse bem.
    Agora que poderia estar a relaxar um pouco mais, este maldito vírus que me acrescenta uma nova ansiedade… Continuo de repouso, mas agora sem visitas e a perspetiva do meu bebé nascer no meio da pandemia é assustadora.
    Peço muita força e saúde para mim e para os meus e que este drama passe rápido!
    Que tudo nos corra bem!

  15. eu tambem estou grávida, mas apenas de 13semanas. mãe de primeira viagem também. tenho medo muito medo do futuro. e que pensava que iria ser esta a fase mais feliz e tranquila da minha, mas não o é… estou longe de todos os que me são queridos, sou eu o bebé e o meu namorado… em casa os três, e sem saber o que me espera.

  16. Grávida de 39+4dias. A qualquer altura vai nascer o meu bebé e o pai não vai estar presente, o irmão só o vai conhecer quando sairmos da maternidade.
    Não eram estes os planos.

  17. Grávida de 32semanas quase 33. Percebo tudo o que sente, para mim vivido de outra maneira por ser segunda gravidez. No entanto vivo com a angústia de possivelmente não conseguir incluir a mais velha em tudo o que tinha planeado como por exemplo ir ver a mana a maternidade! Tenho muita esperança que até Maio a coisa acalme bastante.

  18. Eu neste momento tenho 14 semanas, tenho esperança que ainda consiga aproveita este momento…é a minha segunda gravidez, a primeira correu mal pois o saco embrionário estava vazio, tenho medo que algo ñ esteja bem…consultas à distância 😔
    E com td isto o meu local de trabalho tá fechado e ainda ñ sabemos se volta a abrir…
    Um dia de cada vez

  19. Olá também estou a espera de um menino e também ele vai nascer neste tempo de guerra….estou fechada em casa com os manos mais velhos desde o início e apesar de toda as pessoas carinhosamente me dizerem que vai ficar tudo bem, vivo apavorada com estes tempos conturbados…um beijinho a todas as grávidas e recém mamãs ❤️

  20. 38 semanas hoje, e compreendo isso tudo na perfeição… Também sou mãe de primeira viagem, é assustador, mas o que me consola é ter conseguido “aproveitar” a gravidez(só não fiz festa, mas assim que isto levantar tenciono fazer)
    O que temos que fazer agora é ter fé que as coisas melhorarão ❤🍀

  21. Estamos no mesmo barco o meu é para 30 Maio, espero que até lá a poeira tenha baixado. É muita desilusão junta. Mãe de primeira viagem com a preparação para o parto cancelada, e consultas por telefone sem observação médica e saber que no dia do nascimento terei que passar por tudo sozinha torna tudo muito mais assustador. Sinto que fomos colocadas de parte. Só desejo que tudo passe rápido para poder aproveitar nem que seja os últimos dias do que devia de ser o melhor mumento da nossa vida.

  22. Ola! Estou grávida de 32 semanas e revejo-me neste texto 😔. Além do mais tenho a ansiedade de não ter tudo o que ainda desejava ir comprar. Só saio de casa para as consultas. O pior de tudo é que isto é o início. Quantos meses mais iremos viver esta situação?! Esperança, saúde e muita força são, neste momento, as palavras mais importantes que desejo, em particular, a todas as grávidas. 🤗

  23. Como eu entendo 😢
    Estou grávida de 35 semanas, o meu menino vai nasce no meio desta pandemia que não pára de matar e afetar todo o mundo…
    Muita sorte para a sua hora, espero que tudo corra pelo melhor beijo

  24. O acto de nascer ê sempre violento, tanto para a mãe como para o seu filho. Depois há a história para se contar para se embalar no berço ou no colo. Nós nascemos e somos tão frágeis e delicados, que é por isso que nasce o amor verdadeiro. A poesia é as artes onde durante a vida nos abrigam os como seres filhos de mães feitas de glória. UP à vida.

Deixe uma resposta

* Campos obrigatórios