Sara

A Sara gostava de Beatles. Gostava de todas as vezes que lhe dizia I want to hold your hand e dos mil significados que esse verso meloso continha. Sempre que podia, fazia questão de envergar uma das minhas t-shirts dos Beatles. Era algo que a fazia sempre armar um sorriso. Era meio caminho para nos amarmos.

A Sara gostava de canções sobre amores que nunca teve e talvez procurasse em mim um objecto para essas mesmas canções.

Mas não gostava daquelas baladas genéricas produzidas para identificação de qualquer ser humano. Essas eram alvo de desprezo.

Não sendo particularmente romântica, o seu olhar era.

E tantas vezes me disse coisas cujo olhar discordava. Os seus lábios retraíam-se quando balbuciavam alguma vergonha por eu dizer o quanto a amava.

Se tivessem vergonha, os Beatles não editariam metade das suas músicas. Se tivessem tido alguma vergonha, a Sara não gostava de Beatles e eu nunca poderia dizer

I give her all my love.

 

 

Nota sobre o autor

Emanuel Silva.

25 anos.

Técnico de gestão do conhecimento.

Escrevo pela companhia que as palavras representam. Para evitar a solidão e poder partilhar numa folha branca o que bem entendo. Escrevo para abraçar o Mundo sem ter de o tocar. Escrevo porque sou humano. emanueldiogoalmeida@gmail.com

 

Partilhe nas Redes Sociais
FacebookTwitterPinterest