Conan Osíris: vencedor do Festival da Canção 2019

Se falhar esta previsão, vou alegar problemas técnicos nas votações! Vou exigir o vídeo-árbitro, a intervenção da O.N.U! O escambal!!! Mas arrisco as minhas fichas todas neste cocktail de reencarnações: de António Variações q.b. com uma boa dose de Amália, uma rodela de Carlos Paião e – porque não? – uma pitada de Zeca. Batido e mexido, que de coisas paradas, está a arte farta! Mas a combinação perfeita é aquela que lhe dá o nome: Conan, nome que foi buscar á série mítica japonesa “Conan, o rapaz do futuro“, e Osíris, deus egípcio do renascimento. E se não é Tiago Miranda, o homem que veste a pele desta mistura explosiva, ele próprio um homem do renascimento? Ele que se re-inventou, que desconstrói preconceitos (canta ele em “Celulitite” Tu não tens celulite / tens celulitite / que é mania que é celulite), que ousou desafiar a normalidade, mas que, no fundo, é tão normal como nós porque, afinal, proclama a quem o quiser ouvir “Adoro Bolos” (quem não?).

Nem o rapaz nem a sua música se fecham no nosso belo retângulo-à-beira-mar-plantado: no álbum que lhe deu a glória e aclamado pela crítica unanimemente como um dos melhores de 2018 (apesar de ser de finais de 2017), além do fado, podemos percepcionar sonoridades de kuduro, música cigana, oriental e até um certo estilo Bollywoodesco.

É uma miscelânea que faz sentido e que dá sentido à personagem criada por um jovem à beira dos 30 anos, que foi vítima de bullying na adolescência, mas que chegou a trabalhar numa sex shop. Experiências que, entre outras, influenciam a expressão da sua arte, seja pela maneira como se apresenta em palco, seja pelas letras das suas músicas.

É material de Festival da Canção? Os mais puristas dirão que não! É material de Eurovisão? Claramente! Se não ganharmos, em último não ficamos, de certeza! Viram aqui primeiro.

Nota sobre a autora

Olá, o meu nome é Tatiana Mota e passei ao lado de uma grande carreira na TV e na rádio. Como podem, aliás, ver neste vídeo de 35 segundos que realizei para um passatempo, e onde se denota grande talento de atriz (cof… cof…).

Para além disso, e para não passar ao lado de uma grande carreira na escrita, tenho vindo a desenvolver esse skill não só em publicações de informação cultural, como a LeCool Lisboa mas também na nouvelle plataforma Reveal Portugal sem contar também que sou foodie na Zomato.

Se tenho Instagram e Facebook? Claro que sim: no Insta – como dizem os jovens – e na xafarica do Sr. Zuckerberg, estou como sou, sem maquilhagem, em Alta Definição.

Atualmente, não tenho blog – mas já tive – e influencer, só se for a influenciar os filhos das minhas amigas a serem do Benfica. Penso estar a fazer um bom trabalho nesse sentido 🙂

Partilhe nas Redes Sociais
FacebookTwitterPinterest

2 comentários em “Conan Osíris: vencedor do Festival da Canção 2019

  1. Por acaso concordo com as palavras da Juliana Silva, é um completo desrespeito pelos restantes concorrentes, que terão obrigatoriamente de entrar numa competição em que já se sabe claramente o vencedor. Aliás, sabe-se tão bem que nem é necessário ouvir as restantes músicas, nem o vou fazer, prefiro ouvir 16 vezes mais uma obra prima dum dos maiores artistas portugueses. Conan Osíris, mais uma vez em grande. É apenas surpresa para quem não o conhecia pois, a qualidade estava lá há muito tempo.

Deixe uma resposta

* Campos obrigatórios