Carta de uma mãe especial

Querido (a) professor (a),

 

Daqui escreve-te uma mãe especial.

Para ti e para todos aqueles que irão trabalhar com crianças com necessidades especiais, lembrem-se que atrás delas há uma mãe que lutou muito para aquele filho ou filha ali estar. Atrás daquela criança especial está uma mãe pronta a ajudar, que conhece o filho ou filha melhor do que ninguém e é a melhor pessoa que vos pode fazer chegar a ele.

Nós, mães de crianças especiais, não somos o bicho papão. Somos mães cansadas, muito cansadas de lutar contra um sistema desigual, insuficiente e incapaz de dar respostas às necessidades dos nossos filhos.

Somos mães que não aceitamos um não como resposta. Que não aceitamos a falta de recursos como desculpa. Que não aceitamos que os nossos filhos não tenham o mínimo a que têm direito! 

Inclusão! Igualdade! Inter-ajuda!

Lembrem-se de que as nossas crianças podem não falar, podem não se queixar, podem gritar pouco ou muito, podem não ouvir à primeira nem à décima vez, mas com esforço, com vontade, com dedicação, eles chegam lá!

Se nós não desistimos, não desistam também!

Nós estamos a confiar-vos o nosso bem mais precioso. Por favor, tratem-no bem, como se um filho vosso fosse. 

Da minha parte, e da maioria das mães especiais, podem contar com toda a nossa dedicação e ajuda. Lembrem-se de que isto só funciona se trabalharmos em equipa, onde os vossos sucessos são os nossos sucessos, as vossas dores são as nossas dores e as vossas lutas são as nossas lutas! O mesmo esperamos que quando a moeda girar, que as nossas lutas se tornem vossas também! 

Sabemos que o ano passado não foi fácil com a introdução de um novo decreto. Mas este ano não pode haver desculpas porque as nossas crianças não têm tempo para erros, menos ainda para desculpas…

 

Que seja um ano fantástico!

Bom ano letivo a todos!

 

Nota sobre a autora

Chamo-me Cláudia Carvalho e sou orgulhosamente mãe da Mafalda, uma menina linda, com 7 anos, autista não verbal, com epilepsia e um síndrome raro.

A Mafalda iniciou há poucas semanas o segundo ano e, tendo em conta os nossos dois últimos anos que foram de muitos altos e baixos, resolvi fazer um texto para todos os professores que vão lidar com crianças especiais, como a minha, neste ano letivo que se iniciou. 

Partilhe nas Redes Sociais
FacebookTwitterPinterest

12 comentários em “Carta de uma mãe especial

  1. Sou mãe de um menino especial, autista, também tem 7 anos e iniciou o segundo ano. Temos a sorte de ter uns professores, auxiliares, terapeutas e psicóloga maravilhosos! Sim, existem dias bons e dias maus, mas com muito trabalho, paciência e amor tudo se consegue. Só desejo a todos os pais de meninos especiais muita força e acreditem sempre, porque tudo é possível!

  2. Tão mas tão bom… Sou uma irmã, não uma mãe, uma irmã galinha que anda sempre de volta do meu menino de ouro, a lutar mais a cada dia que passa pela inclusão e pela igualdade, que nem deveria ser posta em causa nem na escola nem em lado nenhum… Continuemos a caminhar!
    Beijinhos.

  3. Obrigada por escrever o que vivi durante toda a vida escolar do meu filho Alexandre (autismo- síndrome Asperger) mas o nosso amor tudo vence.
    Muita força e amor para si e para a Mafalda
    Vou partilhar

  4. Lindo texto, também tenho um filho autista, temos que nos fazer ouvir em nome dos nossos filhos, pois há ainda um longo caminho a percorrer que nem tudo o que é dito é realidade.

  5. Sou professora e sei o quanto é trabalhoso uma criança especial em uma classe, na maioria das vezes, não adaptada a suas necessidades, mas também sei como nosso coração nós levam a achar esse equilíbrio e vencer estes desafios, por amor e encanto por uma só dentre tidas as crianças.
    Nós , educadores verdadeiros, vivenciamos cada um pois só assim chegamos no todo.

  6. O meu Reguilão em autismo e tem 7 anos, passou para o segundo ano e teve de provar que merecia estar na escola com os outros meninos. No ano passado escrevi uma carta a tentar dar esperança a uma professora muito queixosa. Este ano escrevi algo parecido com a sua carta. As batalhas estão sempre lá, mas nós, as mães especiais nunca desistimos, com, ou sem cansaço. Tudo de bom para a sua guerreira linda…. já agora, são iguais desejos os que lanço a todas as outras mães que por aqui a lêem.

  7. Muito lindo ,eu tambem sou mae de um agora adolescente Asperger.Foi sempre uma luta muito dificil para aceitarem o meu filho tal como ele é.Temos de ser fortes por nos e por eles .

  8. Vou, sem duvida, partilhar! Não desfazendo dos terapeutas sem filhos, noto que, quando têm, existe uma sensibilidade e instinto maiores para lidar com os nossos pequeninos. Beijinhos a todas e força, muita força!

  9. Muito amor muita paz e muita força,Deus abençoe os esforços de todos participantes unidos para vencer.partilho com muito carinho 🥰

  10. Também sou mãe de uma menina especial com paralesia cerebral e identifico-me a 100% com este texto. Obrigado por exprimir o que sentimos…

Deixe uma resposta

* Campos obrigatórios