A Melodia do Amor

A minha mãe era a casa. De manhã lembro-me de acordar, entrar na cozinha e lá estava ela. A porta da rua estava aberta e o sol entrava em feixes de luz que preenchiam cada canto. O pão já estava em cima da mesa, fresquinho, trazido por ela quando o sol ainda se preparava para nascer. Como eu acordava tarde, ela não demorava muito e já estava a preparar o almoço. A televisão estava sempre ligada e de vez em quando entre o descascar das batatas lá dava para dar uma espreitadela. Outras manhãs, preferia ouvir música. Tinha sempre ao pé do rádio uma carta da luz antiga a fazer de caderno de apontamentos e uma caneta. Quando passavam as músicas preferidas dela, largava tudo o que estava a fazer para apanhar o mais rápido que conseguisse a letra. Assim, quando passasse a próxima vez, ela podia cantarolar e acompanhar a música devidamente. Às vezes, só conseguia apanhar uma ou outra frase e lá lhe escapavam algumas palavras. Depois, guardava o papel e caneta por cima da pequena balança junto do rádio e, no fim da tardinha, nos discos pedidos, podia ser que alguém pedisse a música e ela conseguisse apanhar mais um verso.

Aquele rádio nunca mais voltou a tocar. Já não tenho o pão fresquinho em cima da mesa nem o sol radiante a entrar-me pela casa adentro quando acordo. O silêncio presente em cada divisão faz um barulho ensurdecedor. De vez em quando, vou à balança que continua á beira do rádio e pego nas cartas da luz rabiscadas que por lá ficaram, exatamente onde ela as deixou. Gosto de olhar para a letra dela escrita apressadamente e parece que volto àquelas manhãs. E ela, parece que volta para mim. Tudo o que eu queria era sentir-me em casa. E a minha mãe era a minha casa toda.

Nota sobre a autora

Daniela Dias, quase nos 26 anos, aparentemente, uma miúda. Oriunda de um cantinho algures no Minho. Licenciada em Ciências da Comunicação, mas ainda em busca do que me faz feliz. Escrever é para mim como ter o coração na ponta dos dedos.

 Instagram: @danielalexandradias
e-mail: danielalexandra_dias@hotmail.com

Partilhe nas Redes Sociais
FacebookTwitterPinterest

Deixe uma resposta

* Campos obrigatórios